dezembro 29, 2014

O Jumento

 

O meu amigo, o jumento
Mais que amigo é um irmão
Que dá um duro arretado
Nas brenhas lá do sertão
Carrega cargas de água
Pr'as muié lavar as mágoa
Que maltrata o coração.

Atrelado na carroça
Puxa um peso, de matar
Às vezes chora sorrindo
Que é pra ninguém lhe notar
Jumento é um bicho danado
Come tudinho calado
"O pão que o diabo amassar"!

Tem cabra macho e malvado
Sem um pingo de vergonha
Como o tal do Agripino
Marido da velha Antonha
Que explora o bicho, a valer
Sorrindo do seu padecer
Pois não há, quem se lh'imponha.

Se eu pudesse, encilhava
Os que maltratam este irmão
Metia a espora no lombo
Até sangrar de montão
Chicoteava os perversos
E nas rimas dos meus versos
Eles não voltavam não!

*soninha*

"Declaração Universal dos Direitos dos Animais"
UNESCO

Artigo 7º 

Todo o animal de trabalho tem direito a uma limitação razoável de 
duração e de intensidade de trabalho, a uma alimentação reparadora
 e ao repouso.

2 comentários:

Roselia Bezerra disse...

Olá, querida Soninha
Que o seu fim de ano seja abençoadíssimo!!!
Bjm festivo

Edumanes disse...

PARA SONINHA CIDREIRA E SUA FAMÍLIA,
DESEJO FELIZ ANO NOVO.

Para que tudo de bom na vida mais evolua!
nasce o sol todos os dias para a terra iluminar
de noite brilham no céu as estrelas e a Lua
para o recebermos a sorrir quando chegar!
O Ano Novo que aí vem seja melhor,
do que o Ano velho ficando para trás
venha ele carregado de carinho e amor
muita saúde, felicidade, alegria e paz!

Um beijo,
Eduardo.