agosto 30, 2011

À minha filha Di


ADELINA MARIA CIDREIRA DE FARIAS

* 30.08.1970
+ 24.04.2000

A ti , filha querida
Qu'estás noutra dimensão
Te ofereço a guarida
Do meu terno coração

Uma flor e o meu carinho 
E a minha dedicação
Guardarei o teu caminho
Com a luz da oração

Segue em paz, filha querida
Logo mais vou te encontrar
Quando nesta minha vida
Deus a mim, mandar buscar.


Tua mãe que te ama, sônia



Deus te ampare nesta tua jornada!

Um comentário:

LUCONI disse...

Soninha querida, imagino a dor de tua saudades, mas tenho certeza que tua linda flor está acolhida no jardim celestial e um dia com certeza será ela que irá te receber, pois os laços do verdadeiro amor jamais se extinguem, apenas se separam provisoriamente por uma tênue cortina, um forte abraço e beijos em teu coração iluminado, Luconi